sábado, fevereiro 17

: Parar para respirar.



A minha vida anda a mil. A minha cabeça e o meu coração não concordam em nada. Tento convencer-me que tudo isto é uma fase que terá fim mas há sempre uma voz - aquela irritante voz - que me diz que é isto que eu mereço. Esta confusão instalada em cada nervo do meu corpo. Esta ansiedade contínua de estar a fazer tudo errado. Cometo erros do passado e sinto-me incapaz de pôr-lhes um fim, como se já fizessem parte do ciclo da minha vida. Voltei a ter quinze anos, penso várias vezes. Fecho-me na minha concha e engulo os meus sentimentos. Tenho as ferramentas todas para sair deste estado de entorpecimento mas escolho ficar nele. Escolho parar por uns momentos. Escolho analisar a minha vida com calma, quem sabe conseguir melhorá-la. Neste momento tudo me parece errado, ainda que tente ver o melhor do mundo. Mas um dia, demore o tempo que demorar, irá entrar nos eixos. E nesse dia irei agradecer ter parado um pouco. O corpo e a mente precisam de descansar. 

terça-feira, fevereiro 13

: O porquê de preferir os hospitais privados.


Faz confusão a algumas pessoas o facto de eu pagar um seguro mensal de saúde e de optar por ser seguida num hospital privado sempre que preciso. Principalmente porque tenho médica de família e até sou isenta no serviço de saúde público. Dizem-me que é dinheiro mal gasto e que o público sempre os serviu bem. Ainda bem, eu cá tenho razões de queixa. Praticamente desde que nasci. Tive um problema ao nascer e precisava de consultas ortopédicas com frequência. Claro está que os meus pais tiveram que recorrer ao privado porque se estivessem à espera de uma consulta no público eu tinha andado de aparelho até aos dois anos.

Não é por mania ou por me achar superior. Sejamos sinceros... quantas pessoas estão meses (às vezes até anos) à espera de uma consulta/operação num hospital público? É triste mas quando comecei a ganhar o meu dinheiro - e depois de falar com os meus pais - decidi que iria fazer um seguro de saúde. Esse seguro abrange agora o David também e damos imenso uso principalmente com o dentista, onde poupamos imenso! Fora isso eu também uso bastante para a ginecologista e vou lá à dermatologista. O lado bom? No máximo - dos máximos!! - ao fim de um mês tenho consulta. Quando fui a primeira vez à dermatologista não saí de lá sem um check up geral bastante pormenorizado. Sempre que vou à ginecologista venho de lá com exames marcados e ela faz sempre um exame geral mesmo que não me faça a citologia. Claro que estou a pagar para isso mas - numa perspetiva geral - os médicos do serviço público só mandam fazer alguns exames em último recurso. E há doenças que quanto mais cedo se descobrirem melhor. 

Sei que há hospitais públicos bons, onde o serviço é de excelência. Mas aqui na minha zona o serviço não é dos melhores e as queixas são mais do que muitas. Se me custa dar imenso dinheiro todos os meses pelo seguro? Sim. Mas depois lembro-me que estou a investir em mim e na minha saúde. Lembro-me que estou a ser bem tratada e que isso vale todo o dinheiro que possa gastar. Mariquices para alguns. Para mim um bem que deveria ser essencial a todos.