domingo, agosto 12

: Bichos Carpinteiros #6

Podia tentar explicar-vos o porquê de só aparecer aqui de tempos a tempos mas como explicar um turbilhão de pensamentos e de acontecimentos? Prefiro mostrar-vos umas alterações que fizemos aqui por casa já há alguns meses e cuja publicação tem estado em standby. Quem me segue no instagram já deve ter visto fotografias destas obras mas vou aproveitar para vos explicar ao pormenor as duas intervenções.

sexta-feira, agosto 3

: Um longo caminho, até ti.


Deixei-te ir sem dizer o que sentia. Deixei-te ir sem ter ganho coragem para te dar um abraço.  Daqueles que nos tiram o ar e nos fazem sentir em casa. Deixei-te, simplesmente, ir. Foste para longe, para parte incerta. E eu penso em ti, em todos os minutos do meu longo dia. Lembro os teus traços tão vincados. A tua voz tão segura. A tua gargalhada contagiante. O teu toque delicado no meu braço. Na minha mão. Bolas... Deixei-te ir e o meu coração está apertado com remorsos. Como é possível ter perdido tantas oportunidades para confirmar aquilo que decerto sempre desconfiaste? Como pude guardar este amor só para mim? Foste embora, de olhar preso em mim, até que o caminho quebrou o nosso elo. E eu, que me apaixonei perdidamente por ti, nada fiz. Seremos sempre culpados por tudo aquilo que não fomos. Até que o destino nos cruze outra vez.

#fictício