sábado, junho 23

: Particularidades à la Cláudia #14

Durante a adolescência tinha dois grandes complexos: os pêlos no braço e alguns dentes tortos. Curiosamente resolvi os dois problemas mais ou menos na mesma altura, ainda que de formas diferentes. Passei vários anos a descolorar os pêlos e a dar meios sorrisos até que decidi mudar. Parei de me preocupar com os pêlos e aprendi a aceitá-los - hoje em dia ficam mais claros mas apenas de apanhar sol. E ganhei coragem para pôr aparelho. Nem era o aparelho em si que me assustava, era mesmo o facto de ter que arrancar dentes porque precisava de ganhar espaço na boca. Os quatro dentes escolhidos foram os sisos e estava tão nervosa no dia de arrancar o primeiro que saí de lá com o corpo todo preso, do stress. Mas, ao contrário do que todos me diziam, saíram os quatro super bem e nunca inchei nem tive dores. O que não me espantou visto que também nada me doeram a nascer e não fosse o dentista a dizer-me eu achava que não os tinha!

Pôr o aparelho foi um misto de emoções. Se por um lado finalmente ia ter os dentes direitos por outro a primeira semana foi um inferno. Não conseguia comer nada e só me apetecia arrancar aquilo dos dentes. Depois de ultrapassar essa fase foi um amor do início ao fim. Sim, eu adorei usar aparelho. Sou estranha eu sei. Delirava por escolher novas cores dos elásticos todos os meses e, por exemplo, no natal escolhia cores alusivas. No último mês cometi a loucura de meter um elástico de cada cor. Ficou brutal, fiquem sabendo.

O antes (2009)

O durante (2010)

O durante (2012)

A primeira foto sem o aparelho superior (2012)

O depois (2013)

O depois (2018)

Devo ser a única pessoa que ficou triste por tirar o aparelho mas a verdade é que se pudesse voltava a pô-lo. Adoro ver as fotos daquela época e desde aí o meu sorriso tornou-se muito mais seguro. Eu já adorava sorrir mas quem diria que um simples aparelho podia fazer tanta diferença na confiança de alguém! Hoje agradeço o facto de ter tido a coragem para ter dado aquele passo, foi fundamental para mim. Graças a isso sou mais descomplicada e sorrio, sem medos. E é tão bom gostar de mim.

quinta-feira, junho 21

: Home Sweet Home #18

Ao contrário de grande parte das pessoas nunca foi nossa prioridade decorativa encher a casa de molduras. Adoro ver as divisões recheadas de memórias mas os meses foram passando e tínhamos duas míseras molduras numa estante. Até ao dia em que fui a uma loja aqui da minha cidade e me apaixonei por uma moldura fora do normal, que tive que trazer comigo. Depois disso a minha mente começou a fervilhar e fui buscar molduras que estavam guardadas. Os locais para elas já estão escolhidas e agora só falta revelar fotografias. Agora que lhe apanhei o gosto já planeio novas combinações. Ficam algumas inspirações, todas elas retiradas do pinterest.