: O rio sussurrou-me o teu nome.


Olho para a outra margem deste largo rio e às vezes dou por mim a pensar que gostaria de voltar a falar contigo. Saber como estás, se ainda pensas que um dia acabaremos por ficar juntos. Por vezes cresce em mim uma vontade, quase incontrolável, de te procurar. Mas depressa acordo para a realidade e compreendo que a tua decisão de desapareceres por completo da minha vida foi a melhor. Porque assim é mais fácil, para os dois, fingirmos que nunca nos conhecemos; Fingirmos que aquele período da nossa história foi passado no meio de outras palavras; com outros sentimentos. Já quase nunca me lembro de ti, tal como acredito que aconteça contigo. Segui a minha vida e superei, a custo, as lembranças que me trazias por esta altura do ano. Superei o que tua presença me deu; O que a tua ausência deixou. Mas hoje a minha mente encheu-se de memórias tuas, talvez por estar a chegar a altura em que te disse adeus, pela última vez. Olhei o rio e lembrei-me dos passeios que morreram na utopia do pensamento. Lembrei-me do teu sorriso e da forma como vias a vida, tão parecida com a minha. Hoje, olhando o rio, tive saudades tuas. E, quem sabe, não continuarei a tê-las sempre que te lembrar. Sempre que olhar na tua direcção. 

Talvez um dia tropece em ti...

Comentários

  1. É assim que se escreve sobre a saudade. "Superei o que tua presença me deu; O que a tua ausência deixou." Há pessoas que marcam, por definitivo, a nossa vida. Por mais longe que agora estejam... Há sempre momentos em que as lembranças que outrora pensávamos já nem possuir, aparecem.

    Sempre bonito!!
    Um beijinho

    ResponderEliminar
  2. Há sempre alguém de que teremos saudades que deixou de fazer parte de nós!

    ResponderEliminar
  3. Há dias em que tudo isto é inevitável, que as saudades são maiores e nos invadem por completo. Não que isso signifique um desejo de regressar ao que se tinha, mas apenas relembrar uma determinada altura.
    Estes dias passei por algo do género ao que retrataste maravilhosamente no texto!

    ResponderEliminar
  4. Ás vezes a nostalgia apanha-nos e tenta deturpar-nos a memória e a percepção do real mas o importante é que recuperemos a tempo de perceber que há coisas que vêm por bem mas também há coisas que vão (embora) para um bem ainda maior :)

    ResponderEliminar
  5. Há pessoas que entram na nossa vida e deixam imensa saudade... Adorei o texto :)

    ResponderEliminar
  6. O mar /rio tem dessas coisas traz-nos uma nostalgia imensa. Gostei imenso do texto, até porque as vezes faz bem recordar o passado...

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?