: Recados à macaquinha


Sabes, macaquinha, espero que venhas a ter o traço corajoso do teu pai. Espero que, tal como ele, consigas ver para além daquilo que está à tua frente e que te permitas sonhar. Que não tenhas medo de dar um passo em frente. Não te quero indecisa como tanto tenho estado. Bem sei que esta minha indecisão se prende com aquilo que imagino para o nosso futuro, tu incluída. Quero dar-te, pelo menos, aquilo que eu tive. Quero ajudar-te a abrir algumas portas e quanto mais penso naquilo que devo fazer mais confusa fico. Às vezes gostava de ser mais espontânea; deixar de temer o que poderá chegar. Mas sou demasiado perfeccionista para deixar as coisas ao acaso. Não quero que seja o destino a definir o meu caminho e não quero permitir-me abandonar este meu lado que me mantêm os pés no chão. Talvez demasiado colados a ele. Ainda assim quero-te com uma mente livre, como o teu pai. Quero-te uma sonhadora com consciência. Quero que vejas, em tudo na tua vida, o elefante debaixo do chapéu como no Principezinho, livro que te irei ler assim que souber da tua existência. Perdoa-me estas indecisões e as mil conversas que não levam a lado nenhum. Só quero o melhor que possamos conseguir para o nosso futuro. E se isso significa viver numa casa pequena então que seja. O amor que tenho ao teu pai fez-me imaginar viver numa casa (ainda mais) pequena do que aquela que pertence aos teus avós. Pesquisei, imaginei e percebi que não me desagrada totalmente a ideia de viver de forma minimalista. Não me desagrada a ideia de te ensinar que o pouco é muito, que do nada se faz tudo. Não me desagrada a ideia de ter um espaço apertado que promova o convívio de toda a família. Talvez um dia nos vás chatear porque tens um quarto pequeno mas não te preocupes, Helena, iremos ajudar-te a decorá-lo para que ele pareça duplicar de tamanho. Acho que está na altura de me permitir arriscar. Se não viver agora quando começarei na verdade a viver? 

Quando nasceres, daqui a uns anos, o nosso ninho estará pronto para ti. E aí todo este caminho fará sentido.

Comentários

  1. Recados à Helena foi dos post's mais carinhosos e cheios de amor que li até hoje. Imagina quando tiveres a "macaquinha" ao colo.
    Acho que faz parte teres essas dúvidas de como será no futuro. Mas na minha opinião, com os pés assentes na terra ou não, com uma casa maior ou não, ela será feliz pois terá o mais importante: o vosso amor.

    Um beijinho grande cheguei coisas boas para o vosso futuro

    ResponderEliminar
  2. A vossa querida Helena, quando chegar, será uma sortuda!

    ResponderEliminar
  3. Que texto mais lindo. E a verdade é que tens razão "Acho que está na altura de me permitir arriscar. Se não viver agora quando começarei na verdade a viver?" :)

    ResponderEliminar
  4. De uma coisa é certa, será uma criança muito amada 😊

    ResponderEliminar
  5. Que palavras ternurentas... Amor nunca lhe há-de faltar, isso é certo :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?