: Uma ode às primeiras vezes.


Trememos de medo perante aquele primeiro passo que nunca demos. Perante aquele primeiro passo que nunca pensámos dar. Mas, de repente, já entrámos naquela nova estrada que não nos mostra até onde vai. E temos de segui-la. Temos de seguir em frente. Passo após passo vamos avançando, com o coração a mil e com a cabeça a rodopiar nos pensamentos que não param de aparecer. Podemos até parar para respirar fundo, por segundos, mas depressa voltamos ao caminho, evitando os buracos que não foram remendados. Saltamos por cima deles e nem olhamos para baixo. Só temos olhos para o que se desenrola à nossa frente. E avançamos; avançamos; avançamos... Começamos a ver o fim à estrada e chega a altura em que nos perguntamos porque tivemos sequer medo de partir nesta aventura. Agora tudo parece tão fácil. Chegamos ao fim e estamos prontos para recomeçar tudo de novo. Estamos prontos para correr até ao ponto de partida e fazer aquele caminho, agora gravado na nossa mente a ferro e fogo, de olhos fechados. Muitos nos dizem que só custa a primeira vez. E eles, mesmo usando um cliché, estão certos. Arrisquem em todas as vossas primeiras vezes. Aproveitem-nas. Elas só acontecem uma vez na vida.


Tudo isto porque, ao fim de quase um ano de carta, conduzi um carro completamente sozinha. Só eu e a máquina de uma pessoa amiga. Se tive medo? Oh, imenso. Afinal de contas não tenho muita experiência e o carro nem sequer é meu. Se esse medo se desvaneceu assim que comecei a conduzir? Sem dúvida! Senti-me livre.

Comentários

  1. Eu já levo dois anos de carta e nunca estive só eu e a 'máquina'!! Tenho mesmo que o fazer ;)

    ResponderEliminar
  2. Como se costuma dizer, o que custa é o primeiro passo. Mas depois de o darmos, a sensação de conquista é maravilhosa!
    Fico mesmo feliz por ti :D

    ResponderEliminar
  3. É mesmo como dizes. É um clichê mas que faz todo o sentido. E adorei o que disseste "Começamos a ver o fim à estrada e chega a altura em que nos perguntamos porque tivemos medo de partir nesta aventura." É tão verdade o que dizes, até porque tantas vezes pomos dúvidas acerca das nossas capacidades e depois vemos que afinal não é um bicho de sete cabeças :)
    E quanto à tua "aventura", continua a fazê-la porque nada melhor que um passeiozinho de carro hehehe :p Um beijinho enormeee

    ResponderEliminar
  4. As primeiras vezes não são aquilo que nos definem, mas sem qualquer dúvida são das coisas mais importantes para descobrirmos muito sobre quem somos e o que somos capazes de fazer.

    ResponderEliminar
  5. Viver é correr riscos. E não adianta fugir, porque quem tem de morrer de um tiro, não morre de uma facada. :)

    ResponderEliminar
  6. As primeiras vezes são sempre aquelas que requerem mais calmantes, mas são também aquelas que mais nos fazem perceber que não havia nada a temer ;)

    ResponderEliminar
  7. Eu pensava que me iria acontecer algo semelhante, mas dali há uns dois meses de carta o meu pai passou-me o carro para as mãos, e eu fiquei admirada, para ser sincera :o

    ResponderEliminar
  8. Temos sempre medo do desconhecido porque a zona de conforto é muito mais «segura» mas há que arriscar, ir em frente, conhecer novas sensações, enfrentar medos e receios e então coisas maravilhosas acontecem :D

    ResponderEliminar
  9. Antes tinha imenso medo a conduzir mas agora, para mim, é das melhores coisas de sempre.

    ResponderEliminar
  10. O que custa sempre é a primeira vez, grande verdade! Parabéns pela coragem!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?