sexta-feira, maio 22

: Ser tua.


Foste inteligente, não posso negar. Fizeste-me confiar em ti, reviraste o meu coração fazendo-o espreitar novamente o mundo e trouxeste-me até onde querias. Sabias desde o início que eu era feita de pedra mas, ainda assim, não te deixaste demover perante as muralhas que eu erguia. Foste conquistando o teu espaço, dia após dia. Foste a água que, de tanto me bater, lá conseguiu furar caminho até ao romantismo que eu já não sabia ter. Tanto esforço para quê? Para agora me deixares sozinha nas noites mas frias? Para agora atirares a toalha ao chão? Não te compreendo e este sufoco de pensamentos não me deixa dormir. Não me deixa descansar. Talvez tenha sido pelo desafio de conseguires pôr o meu mundo do avesso; Talvez te tenhas cansado de tanta luta. Mas porquê desistir de tudo agora? Agora que já sou tua. Agora que o meu coração te pertence por inteiro? Queria ouvir as respostas da tua boca mas sei que dificilmente te voltarei a ver. Tu és assim: um viajante que nunca regressa aos locais pelos quais passou. Foi loucura minha achar que também eu tinha o pedaço mais importante de ti. Foi loucura minha acreditar nas tuas promessas. Foi tudo, simplesmente, uma loucura minha.

Quem sabe um dia até voltes. Quem sabe um dia até te perdoe. Ou, quem sabe, nunca te consiga esquecer. O amor que me deste - este amor que me derreteu - servirá para voltar a congelar aquilo que, bem no fundo, eu sabia que nunca deveria ter entregue a ninguém. As cores ficaram esborratadas no quadro que era a nossa vida e agora sei que esta loucura não foi nada mais do que a minha falta de vontade de ver a verdade. Louca, por ti? Nunca mais!

8 comentários:

  1. Fico triste de ler estas palavras que te devem magoar tanto o coração. Um beijo enorme de força. Mas também te peço para não o congelares. És tão bonita. E seja lá o porquê de estar a acontecer isto na tua vida voltará a ter sentido. Escreve. Muito.
    Há águas que nos furam para nos esvaziarem... Estarei aqui para te acompanhar.

    ResponderEliminar
  2. Minha querida, embora seja, mais uma vez, inegável o teu dom para me comoveres com os teus textos, só espero que este não reflicta uma situação real, pois mereces bem mais do que isso. :))

    ResponderEliminar
  3. As pessoas travam batalhas que depois parecem esquecer. Percorrem o caminho mais difícil e depois viram as costas sem qualquer motivo. E acompanhando e sentindo tudo isso de perto, parece que nos devolvem a vida, mas depois nos retiram o tapete por baixo dos pés com frieza.

    ResponderEliminar
  4. r: A vida dá tantas, talvez um dia volte mesmo a vê-lo*

    Oh, que bom. Muito, muito obrigada! Isso é culpa de termos tanto em comum :)

    ResponderEliminar
  5. Quem sabe um dia... Estes sentimentos são horríveis, sei bem. Também os tenho...

    Não sei como é que ainda não tinha aqui vindo!!! Gostei e segui*

    ResponderEliminar
  6. Felizmente já não retrata a realidade do agora!! E espero que esse coração fique, ternamente, quentinho.

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  7. Espero que isto não reflicta a tua vida actual, Cláudia, porque mereces sorrisos. Muitos.

    ResponderEliminar
  8. O meu maior medo, é que um dia estas palavras sejam escritas por mim, o medo que ele deite a toalha ao chão depois de toda esta luta..

    ResponderEliminar

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?