: [ Assim Nasceu Portugal ] de Domingos Amaral


Não me interpretem mal mas... sempre que termino um livro do Domingos Amaral sinto que fico "ressacada". Mas tudo no bom sentido! Fecho o livro e penso para mim mesma «Não!! Só mais um capítulo... Vá lá...». E, mais uma vez, a rotina concretizou-se. Tenho imensos livros à espera de serem lidos mas não consigo largar este. Quase como se por tanto lhe tocar pudessem nascer mais capítulos. A minha mente ainda fervilha com aquilo que li e, não posso negar, estou ansiosa pelo volume II com a continuação da história.

Sou fã de Domingos Amaral não só pela sua escrita, que me cativa imenso, mas pela sua mestria em criar romances históricos que não só nos ensinam como nos fazem apaixonar. Este não foi excepção. Sempre admirara Afonso Henriques mas ao ler esta história, ainda que com muitas partes ficcionadas, não posso deixar de salientar a força que o amor lhe deu para lutar pelo que queria. Ou, melhor dizendo, a força que o amor lhe deu para se transformar no nosso primeiro rei. Porque foi, na verdade, o amor que fez nascer Portugal.

E é exactamente isso que este livro retrata: o nascimento de Portugal. Ao início é um pouco confuso pelos nomes que parecem todos iguais. Mas depressa a nossa mente aprende a distinguir os apelidos e a associar pessoas e nomes. Depressa nos habituamos à constante convulsão que se sente nos capítulos e que parece apressar os sentidos; os sentimentos. São 413 páginas de constante mudança. De constantes avanços e recuos. Para no fim deixar tudo em aberto. Para no fim nos deixar a congeminar o que virá a seguir.

Desta vez deixo-vos uma única citação. Não que não tenha gostado de muitas outras (porque gostei de bastantes!) mas por sentir que esta frase definiu, em grande parte, a essência do livro.

« - Talvez o amor seja um privilégio só de alguns... » (pág. 319)

Li este livro em pouco mais de uma semana. E não foi mais rápido porque o tempo livre é escasso. Se recomendo a sua leitura? Sem dúvida! Tal como recomendo a de todos os outros livros de Domingos Amaral. Principalmente para quem, como eu, gosta genuinamente de história e adora aprender mais sobre as épocas passadas.

Agora resta-me tentar ir à Feira do Livro em Lisboa, no próximo sábado, para que possa ter um autógrafo do autor neste seu mais recente livro. Vamos lá ver se é desta que eu consigo conhecer esta pessoa que tanto admiro!

Comentários

  1. Também faz parte da lista dos livros que quero ler!
    Espero que consigas estar com ele no sábado :)

    ResponderEliminar
  2. Deixaste-me com imensa vontade de ler um livro desse senhor. Nunca li nenhum. Mas olha, fica na minha lista! :)

    ResponderEliminar
  3. r: Venham eles :)

    Imagino que os miúdos adorem fazer! Por acaso, apesar de ter a receita e até ser fácil, também não é algo que faça com regularidade.

    Só não cumpro a parte do deitar cedo ahahah aos poucos consegues que ele perceba as maravilhas que há em acordar cedo :)

    É natural, há aí um receio que não te permite baixar a guarda na totalidade. Compreendo, é uma forma de te resguardares.

    Confesso que não estava nada à espera que ele fosse a escolha para o número deste mês. Ou melhor, nem sequer imaginava que poderia fazer parte das escolhas dela. Também estou bastante curiosa para ler a entrevista, até porque acho que a Cristina direciona bem as perguntas, e mesmo que já conheçamos determinados pormenores permite-nos descobrir mais.

    ResponderEliminar
  4. Não conheço o escritor, mas fiquei com vontade de ler!

    ResponderEliminar
  5. Olá :)
    Passo só para avisar que agora o meu URL é o seguinte:
    http://dourada-saudade.blogspot.pt/
    Beijinhos e tudo a correr bem!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?