quinta-feira, junho 18

: Visto-me de flores.


Rodeio-me de rosas, papoilas, amores-perfeitos, cravos. Rodeio-me de mil cheiros e mil espinhos. Visto-me de pétalas, folhas e caules. Sou a Primavera em flor, o verão em todo o seu esplendor. Sou o outono das despedidas, o inverno da dormência. Sou as estações e as suas mudanças. Sou as flores que nunca desistem da vida. Visto-me de verde e movo-me ao sabor do vento. Nasço. Renasço. Vivo. Revivo. Sou a mistura de um jardim bem cuidado. Sou a confusão de um campo de plantas selvagens. Vejo o mundo, a partir do chão, e maravilho-me com a velocidade com que a vida corre. Passa por mim e agita-me; Passa por mim e toca-me, cheira-me; Passa por mim e leva-me. Viajo e vejo o mundo finalmente de cima. O meu espaço, bem colado ao chão, fica para trás. Apaixono-me. Sou sementes, folhas, pétalas. Sou flor. Sou natureza. Sou eu.

8 comentários:

  1. Adorei Cláudia ;) Lindo texto !

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  2. A vida corre-te bem, "Maria Papoila". eheh
    Bonito texto... mesmo muito bonito e tu escreves que até pareces uma escritora. Melhor do que muita gente que ganha dinheiro a escrever... :)

    ResponderEliminar
  3. Nada melhor que vestirmos a pele do mais bonito que há!

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
  4. Que lindo! Fico sempre rendida às tuas palavras *.*

    r: Estavam muito interessantes.
    Fica mesmo giro no conjunto :)

    ResponderEliminar
  5. Lindo, lindo, lindo. Estou maravilhada!

    ResponderEliminar

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?