: Da minha caixa das memórias [#1]


A melhor memória que eu tenho das minhas aulas de condução foi criada na última aula, antes do meu exame final. Depois de três horas de aula - partilhadas com a rapariga que ia comigo ao exame - o meu instrutor olhou para mim e perguntou-me «Sabes levar-nos para casa, não sabes?». Eu acenei afirmativamente e ele disse-me, simplesmente, «Então vá, força nisso!». Eu respirei fundo, como quem ganha confiança, arrancando logo de seguida. Quando dei pelo meu instrutor este estava de cabeça encostada atrás, com a mão de fora do vidro e os pés cruzados debaixo do banco. Por um lado sei que tinha a obrigação de saber desenrascar-me sozinha, visto que ia fazer exame dois dias depois, mas por outro lado aquilo foi, para mim, um grande depósito de confiança. Tirou os olhos da estrada e deixou três vidas na minha mão. Não duvido que tenha sido essa atitude que me deu uma confiança extra para aquele dia de nervos à flor da pele. Ainda hoje, passado um ano, cada vez que conduzo penso naquele dia e naquele cruzar de pernas. Todos os nervos se dissipam imediatamente!

Comentários

  1. Foi uma grande prova de confiança :)

    ResponderEliminar
  2. A sensação de confiarem em nós é sempre uma espécie de alento para conseguirmos seguir em frente!

    ResponderEliminar
  3. Isso deve ter sido optimo para aumentar a tua confianca para o exame! :)

    ResponderEliminar
  4. Às vezes só precisamos de um sinal em como as pessoas confiam em nós e acreditam nas nossas capacidades para nos mentalizarmos de que realmente somos bons naquilo :)

    ResponderEliminar
  5. Esses momentos em que depositam em nós total confiança são vitais para a aprendizagem da condução, sem dúvida :)

    ResponderEliminar
  6. Só o fez porque sabia que podia confiar e isso é mesmo fantástico. Receber essa segurança faz toda a diferença!

    ResponderEliminar
  7. Isso foi um grande voto de confiança e aposto que te deu a confiança que precisavas para ires ao exame sem stress (:

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?