: Há mesmo pessoas sem noção.


No caminho que faço para o trabalho tenho que passar por um aqueduto de água que, apesar de permitir que duas pessoas se cruzem em sentidos opostos, é estreito. Quando eu vejo que vai alguém começar a atravessar o aqueduto antes de mim - e principalmente se for alguém idoso - fico à espera até que a pessoa acabe de passar aqueles metros. No entanto é muito raro encontrar um outro alguém que faça isso quando vou eu a passar. Já cheguei a ir carregada com duas malas, a meio do aqueduto, e alguém decidir que ainda assim deveria passar ao mesmo tempo que eu, obrigando-me a fazer contorcionismo. Mas a situação mais caricata aconteceu-me a semana passada. Estava eu a uns dez passos do final do aqueduto quando uma querida senhora decidiu que era exactamente nessa altura que deveria passar. Lá tive eu que me encolher toda para que ela passasse, sem que se desviasse um milímetro que fosse. Não sei o que é que lhe custava esperar mais cinco segundos. É que ela até ficava a ganhar, visto que não estava lá eu para lhe atrapalhar o caminho. Enfim... 

Comentários

  1. Há pessoas que só pensam nelas, é o mal. Irrita-me a mania que algumas têm de ir na rua como se fosse tudo delas, quem quiser que se desvie porque elas não o vão fazer --'

    ResponderEliminar
  2. Há sempre quem se ache dono do mundo. Eu sou como tu, dou sempre espaço para as pessoas passarem, afinal, como disseste, são apenas alguns segundos.

    R.: Eu não me esqueci da tua pergunta, para a semana mostro como é que fiz o cesto :)

    ResponderEliminar
  3. Quando levares malas, dá-lhe com elas nos joanetes e vais ver que da próxima até espreitam a ver se trazes malas. eheheheh

    ResponderEliminar
  4. A minha situação é diferente mas é semelhante. Na nossa zona, existe uma estrada estreita que dá a um hipermercado e consegue-se passar dois carros, se houver cuidado. Quase todas as vezes, a minha mãe tem sempre que abrandar, enquanto que o outro carro da outra direcção, anda em uma grande velocidade (que não devia). Hoje em dia as pessoas só se importam consigo próprias. Se as pessoas tivessem o mínimo de educação, talvez a sociedade seria um bocadinho melhor.
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Sobre este tipo de pessoas só tenho uma coisa para lhes dizer:
    "Cancro ficava-vos tão bem! Como a morte!"

    Disseram-me uma vez (a mim e ao meu irmão), em Aveiro numa feira de gastronomia, que se não fossemos nós os jovens a lutar por este país, a fazer por este país, a dar a este país ao invés de FUGIRMOS todos lá para fora, que portugal só teria em ganhar.
    O podre e infelicidade desta sociedade decadente, é que os bons são espezinhados pelos fracos em grande número. Os filhos da mãe que têm a nossa idade, rebentam com todo este país, com toda a nossa cultura, com todo o prazer de se falar e escrever português em poucos segundos.

    No fim de semana passado, no Forum de Coimbra, testemunhei uma cena que nunca imaginei ver. Estou habituado a muita coisa que acontece aqui na terrinha centro, e sei que noutros locais o problema pode ser pior ou melhor, mas não naquele fim de semana.
    Subi ao terceiro e ultimo piso do Shopping, de comes e bebes; Nem sequer sabia e me importei em saber, que estava a dar futebol na televisão. Era o Sporting contra não sei quem, o que não interessa muito para esta história.
    Então o que presenciei à minha frente, foram quase 20 velhos e meio-adultos, sentados em cadeiras à frente de um televisor. Nada de mal se estivessem sentados nas mesas e a comer. Não! Eram 20 homens a babarem-se para um pequeno televisor, sentados em cadeiras que foram roubar um pouco por todas as mesas que existem de propósito para quem quisesse comer, conversar, tratar de negócios ou entrevistas de empregos.

    Onde está a educação? O respeito? O civismo? A maturidade? A decência pública?
    O futebol estava a dar no resto das televisões, não era só naquela. Mas o povo podre português é mesmo assim. Não vale um caralho. Já dizia o meu pai:
    "Eu não tenho vergonha em ser português. Tenho vergonha é que algumas pessoas sejam portuguesas!"
    Era para poderem conversar e trocar opiniões sobre os árbitros ou o pontapé mal dado?
    Mas a merda do zé-povinho português continuou a fazer das suas durante os 30min/1h que se seguiu ao jogo. Era tudo ao comentar aos berros e ao telemóvel a falar mal do jogador X e do árbitro Y.
    O respeito em portugal? A cidadania? À muito que fugiu, à muito que imigrou.
    Só querem futebol, facebook e musicas de pretos.
    Quando os muçulmanos invadirem de vez Portugal, os putozitos do "hoje" vão ficar parvos do cérebro enquanto se perguntam como não deram por nada.
    Somos um país de atrasados, que vale pelos bons que trabalham com afinco, com respeito e dedicação.

    ResponderEliminar
  6. Por isso é que quando vejo que a pessoa não se vai mexer também não me mexo.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?