segunda-feira, setembro 28

: A minha vida está em VHS.


Há quem se lembre de coisas que viveu durante o jardim-de-infância. Há quem saiba contar todas as brincadeiras que teve durante a escola primária. Já eu só tenho memória sólidas a partir dos treze anos. Antes disso tenho algumas memórias nítidas - de momentos marcantes - mas tudo o resto é um grande borrão. Valem-me as fotos e vídeos que me ajudam a reconstruir os passos que dei. Talvez por isso eu goste tanto de criar constantemente novas memórias. Desapego-me do passado e olho em frente. Afinal de contas a minha memória a longo prazo não é das melhores do mundo. Não tenho medo do esquecimento mas, ao mesmo tempo, fico triste por não ter memórias daqueles que eu sei terem sido dos melhores anos da minha vida. Se, por algum motivo, o meu futuro filho sofrer deste mesmo mal que eu, espero conseguir organizar-lhe uma bela biblioteca de memórias: textos, imagens, vídeos. Tudo o que o ajudar a conhecer-se e a conhecer o seu passado. Acima de tudo algo que o consiga fazer-se lembrar sempre de pessoas que, com o passar dos anos, irá inevitavelmente perder. Eu perco horas a ver os meus vídeos de infância, a rever os álbuns, a beber as histórias que os meus pais e avós contam. Gosto de saber de onde vim, o que fiz, que palavras disse. Gosto de perceber que a minha personalidade já estava tão vincada desde cedo. Se gostava de ter essas memórias bem vivas? Talvez... Mas assim perderia a piada de juntar a família a reviver o passado!

6 comentários:

  1. Sempre tive o pensamento de no futuro, quando tiver filhos, marcar a vida deles desde o início através de fotografias, de vídeos, de frases. Para terem de certa forma o que eu não tenho agora. Quão eu desejava que os meus pais tivessem tirado mais umas fotografias aqui e acolá... :)

    um beijinho

    ResponderEliminar
  2. Eu recordo-me de muitas coisas da infância, de quando era mesmo muito novo. É evidente que só ficaram as memórias mais marcantes, mas tenho fases bem presentes, nem sempre pelos melhores motivos...
    Fotos não tenho... só em adulto tive possibilidade de comprar máquina fotográfica.
    Já como pai, guardo imensas recordações fotográficas da minha filha. Em vídeo não tenho nada. Nunca fui adepto desse tipo de suporte e as máquinas de película só faziam mesmo fotografia. Mesmo agora, que as digitais permitem fazer vídeo com alguma qualidade, raramente filmo eventos. Prefiro congelar o momento numa imagem estática... :/

    ResponderEliminar
  3. Sinto que tenho muitas memórias de ótimos momentos que se acabaram por perder e por isso gostava de ter uma melhor memória para poder guardar essas recordações comigo! Mas apesar de tudo, sei que há determinadas memórias que não se irão perder por terem sido tão marcantes e importantes <3
    Polyrhythm

    ResponderEliminar
  4. Revi-me tanto nesta publicação! Também não tenho assim grandes memórias da minha infância e fico triste quando as pessoas descrevem imensos momentos detalhadamente e eu só me lembro de partes soltas. Se calhar por isso é que agora gosto tanto de eternizar momentos*

    ResponderEliminar
  5. Ai sou igual!
    Não me lembro de quase nada a menos que hajam fotos, vídeos ou me contem a história várias vezes.

    ResponderEliminar

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?