: O lado injusto da vida.


Quando se trabalha com crianças é essencial saber mais do que o seu nome. É essencial conhecer os pais, saber como lidar com eles, conhecer as rotinas que têm em casa. Tudo em prol de um trabalho mais eficiente e positivo. Este ano comecei por estar na minha escola de sempre antes de mudar para o meu local de trabalho actual e, por isso, conheci duas meninas que viemos a descobrir serem primas e morarem juntas. A partir daí foi um saltinho até que a tia/mãe nos dissesse que os pais da sobrinha não tinham autorização para ir buscá-la pois o tribunal tinha atribuído a custódia aos tios. Até aí nada de mal, visto que estava bem visível que aquela menina e o irmão estavam felizes com os tios e com os primos. Via-se que a nossa justiça tinha tomado uma decisão inteligente.

Ontem, num mero acaso, encontrei essa mesma tia/mãe na escola onde estou agora. Perguntei-lhe se estava tudo bem e fiquei espantada por ela dizer que ia buscar a pequena dela ao jardim-de-infância. Ainda pensei que a outra menina - a sobrinha - estivesse doente mas, já de lágrimas nos olhos, disse-me que a custódia lhes tinha sido retirada e que a menina e o irmão tinham sido institucionalizados. Caiu-me o mundo aos pés. Que mente inteligente acha que as crianças estão melhores numa instituição sem ninguém da família? Em que planeta isso é o melhor para os pequenos? Ao que parece foi a mãe que, descontente com a decisão do tribunal, decidiu que eles não deveriam ficar com os tios. O lado negativo é que ela própria não tem condições algumas para ficar com eles e só destrói a pouca estabilidade que eles tinham ganho. Disse-me a tia que deposita todas as suas esperanças no pai dos meninos que, aparentemente, reuniu todos os cacos da sua vida e se está a esforçar ao máximo para recuperar os filhos.

É fazer figas para que isto se resolva rapidamente e da melhor forma. Não consigo nem imaginar a tristeza daquelas crianças por terem sido obrigadas a abandonar a família que os acolheu, educou e amparou. Mas uma coisa é certa: confio cada vez menos no nosso sistema de justiça.

Comentários

  1. Que tristeza :/ mas infelizmente há muitas situações semelhantes por aí :(
    Oxalá essas crianças tenham melhor sorte!

    ResponderEliminar
  2. A vida é demasiado injustiça, essa decisão no tribunal é ridícula. A felicidade e o bem-estar da criança não está a ser tida em conta...

    http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  3. OH MEU DEUS.. como é que isso é possivel? Obviamente que qualquer criança está melhor na casa de familiares do que numa instituição... e essa mae se quisesse o melhor para os seus filhos nao devia ter deixado isso acontecer.

    ResponderEliminar
  4. O sistema de justiça deste país é um nojo. As penas são uma anedota, um gajo que tire a vida a uma pessoa apanha 15 anos de prisão mas se se portar bem ao fim de 5 está cá fora a matar outra vez. Isto não me cabe na cabeça, nem essas situações com crianças ainda para mais quando essas crianças estavam bem junto dos tios que notoriamente os amam quase como se fossem seus filhos!! Nestes aspectos acho que a América tem um sistema de justiça muito mais fiel e competente que o nosso.

    ResponderEliminar
  5. Fogo, que porcaria :(
    Não sei como é que não investigam melhor a situação e o bem estar das crianças. Podem estar a "destruir" duas vidas!

    ResponderEliminar
  6. Mais triste é ver que essa mãe não consegue perceber que melhor que estarem numa instituição era as crianças estarem nos tios! Realmente...

    ResponderEliminar
  7. As crianças merecem o melhor do mundo. Espero que tudo fique bem.

    ResponderEliminar
  8. Muitas vezes essas decisões são tomadas por tecnocratas sem experiência de vida, mas o "amor" dessa mãe, merecia ser retribuído à chapada.
    Que raio de gente é essa que põe os filhos no mundo para depois usar como moeda de troca nas desavenças familiares?
    É um mundo cruel e triste, este em que vivemos... :/

    ResponderEliminar
  9. Tantas vidas que neste momento estarão a viver isso infelizmente. Na altura em que era pequena, e as minhas irmãs, e a minha mãe morreu queriam fazer o mesmo connosco. Felizmente tivemos tios que nos ajudaram a reverter a situação e hoje sou muito feliz por isso. O mundo da justiça, para mim, estará sempre desequilibrado. É muito triste mesmo! Que isso se resolva rapidamente, também fico a torcer por isso.

    um beijinho

    ResponderEliminar
  10. É ridículo haver situações destas. Mas quando é que vão começar a pensar naquilo que é melhor para as crianças?

    ResponderEliminar
  11. Estas crianças serão adultas um dia e terem que crescer nestas circunstancias marca o seu futuro inevitavelmente. Devia ser obrigatório ter uma infância feliz....

    ResponderEliminar
  12. Às vezes pergunto-me o que têm estes pais na cabeça e os juízes. Eu preferia mil vezes um filho meu a morar com tios do que na instituição.
    E os orfanatos são um enorme negócio! Não lhes convém nada que as crianças sejam adoptadas, depois como enchiam os bolsos?

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?