: Quero-te aqui.


Sonho contigo mesmo quando não quero sonhar. Acordo com um arrepio na pele, sem saber como devo lidar com tudo aquilo que habita, secretamente, em mim. Há dias que passam sem que eu me lembre da tua existência. Mas depois basta que digam o teu nome e todo aquele interesse que eu escondo vem ao de cima. É quase como se a minha mente se aliasse ao coração, que sorri assim que te vê. Podias tornar tudo isto mais fácil e cortar com as minhas esperanças. Podias tornar tudo isto mais fácil e trazer-me à realidade. Mas, pelo meio da tua personalidade brincalhona, vejo pedaços de alguém que pode sentir o mesmo que eu. Pela forma como me olhas, como me falas, como me tratas. Talvez sejamos parvos por não aproveitarmos o que podia ser maravilhoso. Talvez... Ora, quem quero enganar? Escondermos os nossos sentimentos está a matar-nos. Sinto-o em mim, vejo-o em ti. Vejo-o na forma como te despedes de mim, de forma demorada. Pela forma como me chamas sempre uma última vez, com um qualquer recado nada importante. Vejo-o no teu sorriso, meio torcido. Nesse teu jeito de ser. Perdoa-me mas vou cometer uma loucura: irei assumir aquilo que me consome. Irei reunir coragem para te dizer tudo aquilo que polvilha os meus sonhos. Só espero que tenhas a mesma coragem que eu. Acredita, juntos estaremos muito melhor.
#Fictício 

Comentários

  1. Luta por isso, vale sempre a pena!

    ResponderEliminar
  2. Basta um pequeno detalhe e tudo vem à tona. Mas chega a uma altura em que fica impossível lutar contra o que sentimos.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?