: Um romance como o nosso.


Apaguei-te dos meus contactos numa tentativa vã de te apagar, de vez, do meu coração. Desfiz-me das nossas fotografias com um desejo vazio de me desfazer de todas as nossas memórias. Mas como libertar-me de um amor que foi tão forte? Como esquecer todos aqueles momentos que escreveram a nossa história? Seria mais simples se, por algum motivo louco, o amor se tivesse transformado em ódio. Mas a verdade é que o amor ainda habita em nós, mesmo que não tenha resistido à distância que hoje nos separa. E agora custa, cada vez mais, não te poder tocar, não me sentir protegida pelo teu abraço. Como superar a tua ausência sabendo que - do outro lado do globo - também pensas em mim? Talvez esteja na altura de correr para o teu colo. Talvez esteja na altura de admitir que, sem o teu amor, nenhuma das minhas conquistas me sabe realmente a vitória. Porque falta - desde o dia em que te vi levantar voo rumo a uma nova vida - a peça fundamental no puzzle da minha felicidade. Estou disposta a largar o pouco que ainda me segura aqui, neste país plantado à beira-mar. Estou disposta a lutar por tudo aquilo que fomos e ainda poderemos ser. Só preciso saber se ainda esperas por mim... O nosso amor ainda é real ou não passa de um delírio meu?
#histórias de bolso
#off the records

Comentários

  1. Como é que se esquece se ainda há tanto que faz lembrar?

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. Há coisas que demoram a passar, e por vezes faz-nos questionar se foi mesmo verdadeiro. Força!

    ResponderEliminar
  3. Que lindo. Há amores que não morrem nem por nada, independentemente da distância que os separam fisicamente. Há conexões que vão muito além do físico quando se ama e são essas as que mais nos marcam

    ResponderEliminar
  4. Uma história que deve fazer sentido para muita gente!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?