: À minha mãe...


Há dias em que me falta o teu colo. Em que apenas o telefone encurta a distância que nos separa, para poder desabafar contigo. Há em dias em que me falta o aconchego da casa onde vivi tantos anos, onde os problemas pareciam menores. Cresci e agora tenho ao meu encargo coisas que nem sequer podia imaginar. Mas revejo-te em tantas atitudes minhas! Na forma como encaro o dia-a-dia, na forma como planeio o meu futuro. Sigo os teus passos, não por obrigação, mas porque são os passos mais acertados que poderia dar. Sou mulher agora. Responsável pelas minhas decisões. Com a cabeça no sítio. Mas há dias em que me apetece regressar ao passado e deitar a cabeça nas tuas pernas. Há dias em que me apetece ser aconchegada. Há dias em que deixo de fingir que consigo fazer tudo sozinha e procuro os teus conselhos. Como sempre procurei. Como sempre irei procurar.


Obrigada por todo o amor incondicional que me deste ao longo destes anos. Pelas noites em que foste ao meu quarto assim que te chamei a primeira vez. Por todas as vezes em que me aturaste quando não me calava. Obrigada por me incentivares sempre a seguir os meus sonhos. Desculpa por todas as dores de cabeça que te dei, por todas as más escolhas que fiz. Obrigada pela tua sinceridade, sempre. Ajudaste-me a crescer e a ser quem sou hoje. Ajudaste-me a ver que o futuro não é garantido: temos que lutar por ele. 


Ainda não sou mãe mas espero, um dia, estar tão presente para a minha filha o quanto tu estiveste presente para mim. Atenta. Carinhosa. Protectora. Porque afinal de contas, ser mãe é injusto: protege-se a nossa cria durante anos para depois termos que a deixar voar. E tu deixaste-me voar, vendo-me partir de sorriso no rosto. De coração apertado, acredito. Mas não te preocupes, mãe, voltarei sempre ao ninho. Para um beijo, um abraço. Para te dar boas notícias. Para te pedir conselhos nos momentos difíceis. Porque posso ter voado mas nunca deixarás de ser o meu mais forte porto de abrigo. Aquele que já resistiu a todas as tempestades possíveis. Onde quer que estejamos, vivemos no coração uma da outra! Para sempre.
Amo-te Mãe.

Comentários

  1. Uma dedicatória carregada de amor *.* tenho a certeza que a tua mãe está orgulhosa de ti!
    Feliz dia :)

    ResponderEliminar
  2. Uma homenagem merecida, acredito.
    São as leis da vida... mas antes voar sozinha e voltar para um beijo, do que nunca aprender a voar, nem que seja para voltar com um beijo...

    Boas férias. :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?