domingo, novembro 6

: Ode às cuecas de algodão...


Um título estranho, eu sei... Mas vão já percebê-lo:

Uma vez por ano, ou de seis em seis meses como é o meu caso, as mulheres têm que passar por um ritual que não sendo doloroso é, pelo menos, incómodo: ir à ginecologista. Não, homens que me poderão vir a ler, nós não gostamos de lá ir e de expôr a nossa zona íntima. As coisas melhoram quando ganhamos confiança com a médica mas, ainda assim, não é algo que gostemos de fazer.

Pois que ontem lá tive eu que ir fazer uma visita ao consultório. Infelizmente não consegui para a médica que sempre me viu, mas a urgência de resolver um problema fez-me escolher a primeira médica disponível. Um dos maiores erros da minha vida. A senhora para além de falar para dentro - se calhar insultou-me e eu nem dei por isso - foi do mais bruto que pode haver. Mas o mais caricato foi a campanha abusiva que ela fez em prol das cuecas de algodão. Sim, leram bem... Encontrei uma profeta das cuecas feitas de algodão. Nas palavras da senhora nenhum outro tipo de tecido deveria tocar sequer na nossa pele. Temam os poderes ocultos da licra ou, deus do algodão nos livre, do poliéster!

Tive o azar de hoje pegar nas ÚNICAS cuecas que tenho que não são totalmente de algodão. E peguei nelas por serem as mais bonitinhas para se levar a um médico - aquela coisa típica que toda a mulher faz. Pois que a senhora olhou para elas e parecia ter visto o belzebu dos tecidos de roupa íntima. Durante os vinte minutos que lá estive deve-me ter dito umas cem vezes que eu só podia usar cuecas de algodão. E apesar de eu dizer que normalmente não usava outra coisa que não algodão ela não se calava. Precisei, literalmente, de elevar a voz para ela me ouvir. Nestas voltas todas acabou por não resolver o problema que me levou lá. Aliás... fiquei ainda pior depois de toda a brutalidade e da falta de humanidade para comigo, ao ver-me incomodada e stressada.

Trouxe comigo uma lavagem cerebral em moda íntima quando o que queria mesmo era que ela tivesse enfiado um voucher para a Tezenis no meio dos pedidos de análises. Não fossem faltar-me cuecas de algodão cá em casa...

4 comentários:

  1. Não fazia ideia que não gostavam de lá ir, em relação a questão do algodão, em relação aos homens também não aconselham licra, apesar de nós todos usarmos! *

    ResponderEliminar
  2. A pessoas de uma sensibilidade fascinante... só que não!
    Espero que não precises de te voltar a cruzar com ela, senão diz-lhe que estás disponível para receber prendas de natal antecipadas

    ResponderEliminar
  3. Ai senhores não aguenta este tipo de pessoas. Tens de ir à médica habitual para resolveres o teu problema.

    ResponderEliminar

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?