: Abaixo a super estimulação. Pum. Pum!


Aqui me assumo, eu "estimulo" pouco o grupo de crianças com que trabalho. Mas, calma, antes que me atirem pedras eu explico... Hoje em dia é fácil entreter uma criança. Damos-lhe legos, puzzles, televisão ou um tablet e é vê-los ficarem horas vidrados em alguma coisa. Principalmente se lhes pusermos jogos no tablet daqueles que até a nós nos viciam!! Difícil é ensinar-lhes a esperarem - sem desesperarem - até terem aquilo que querem. Quantas são as vezes que nos cruzamos com crianças que chamam os pais dezenas de vezes seguidas, num tom de voz alto, sem saber esperar pela atenção do progenitor?! É isso que eu pretendo contrariar.

Se antigamente temia os tempos mortos, por me sentir um mono em frente ao grupo, agora sou eu própria que os crio. Conversamos sobre tudo e nada (hoje por exemplo, escrevia palavras que eles me pediam para vermos que letras precisávamos), brincamos ao jogo do tubarão (todo o chão é água e ninguém lá pode tocar senão o tubarão dá-lhes uma trinca), esperamos simplesmente... Esperamos que chegue uma determinada hora, que alguém acabe de lanchar para irmos brincar, que um amigo acabe o trabalho para passarmos para a actividade seguinte. Aprendemos a viver em comunidade, olhando para além do nosso umbigo. Aprendemos que o silêncio é tão importante quanto todas as perguntas que lhes cabem na memória. 

A verdade é que facilmente "super estimulamos" uma criança. Sim, isso existe! É quando esta já nem sabe para onde se virar, de tanta coisa que lhe oferecemos. Assim um bocado como o Natal, estão a perceber?! Aqui na sala prefiro preocupar-me em dar-lhes tempo para tudo - até para aprenderem que nem sempre o que queremos nos é dado naquele exacto momento. Ao fim de poucos dias perceberam que há alturas do dia que só fazem sentido serem vividas por todo o grupo. E são eles próprios que fazem questão de chamar aqueles que faltam. Ou que incentivam alguém a terminar a tarefa para poder juntar-se a eles. Tudo isto me aquece o coração e faz-me crer que estou a ajudar a crescer exelentes seres humanos. Por enquanto vivemos apenas na nossa pequena comunidade, dentro daquela pequena sala, mas no futuro saberão viver em sociedade. E isso vale mais que qualquer nota académica.

Comentários

  1. Não podia estar mais de acordo contigo! É mesmo muito fácil estimularmos as crianças em demasiada, mas a verdade é que é extremamente importante darmos espaço e tempo para que experimentem as coisas, para que fiquem em silêncio, para que aprendam a esperar

    ResponderEliminar
  2. Sigo-te pelo Instagram e adoro ver certas atividades que levas aos teus pequenos.
    Acho-te uma pessoa incrível e isto só vem reforçar mais a minha ideia, continua assim !

    ResponderEliminar
  3. Adoro este texto. Percebo-te tão bem e muitas vezes tenho medo de cair nesse mal.

    ResponderEliminar
  4. Do pouco que percebo sobre a área, parece-me que estás a fazer um excelente trabalho!

    ResponderEliminar
  5. cláudia, tens de ver o que o quintino aires falou no programa de hoje no "você na tv" :) tem um pouco a ver com este post! e dou-te tooooooooda a razão! :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?