segunda-feira, fevereiro 27

: Ser eu, sem ti.


Há algo de sufocante na ideia de te perder. Na simples imaginação de já não te ter na minha vida, a partilhar os pequenos momentos comigo. Fico triste se, por acaso, a mente me foge para um futuro onde os nossos caminhos se tornam opostos. Mas depresso entendo que o meu maior medo é, na verdade, perder-me. Deixar de ter sentido para os dias. Medo de ter que começar de novo, de ter que voltar a confiar na bússola que sou eu, sem ter o gps emocional que sempre foste para mim. Tenho medo de perder o teu carinho, a nossa amizade. Mas, lá no fundo, tenho mais medo de descobrir que me tornei vazio para ter espaço para te acolher. Tenho medo de não ser nada, sozinha. Tola, eu sei. Uma tola consciente de tudo aquilo que mudou e de tudo aquilo que se moldou a nós. Será que no fim de tudo ainda me conseguiria encontrar? 

#off the records
#histórias de bolso

11 comentários:

  1. Ao fim de mais ou menos tempo acabamos sempre por nos reencontrarmos.

    ResponderEliminar
  2. :)

    R. Por aqui não ligo mesmo nada ao Carnaval

    ResponderEliminar
  3. Dá muito em que pensar mas eu acredito que chegamos sempre ao nosso destino, passe o tempo que passar! Beijinhos*

    ResponderEliminar
  4. Adorei o texto, e acredito que no fim, todos nos encontramos :)
    Beijinho, Ana Rita*

    ResponderEliminar
  5. É assustador pensar nesse vazio, porque há imensas questões que se formam. Quando nos entregamos a alguém por inteiro, inevitavelmente, acabamos por nos sentir um pouco dependentes. Imaginar um futuro em que tenhamos que caminhar sozinhos é pensar se seremos capazes, como se nos tivéssemos anulado por completo.

    Adorei o texto!

    r: Também prefiro mais a praia nesta altura do ano, precisamente por não haver confusão :)

    Muito, muito obrigada *.*

    ResponderEliminar
  6. Lindo seu poema em prosa
    Que externa a insegurança
    Como que uma criança
    Insegura e amorosa.

    Sua alma o amor esposa
    Por virtude e por herança
    Dos ancestrais, numa dança
    Orquestrada e valorosa.

    Siga os seus passos segura
    Que o amor da criatura
    É herança do criador.

    Ame! Pois o amor só tem cura
    Pelo amor, com a ternura
    De um amor cheio de amor.

    Abraço fraterno. Laerte.

    ResponderEliminar
  7. Eu acho que mesmo quem não aprecia é capaz de gostar :D

    Fizeste com que eu começasse o dia a pensar e a ponderar bem. Obrigado por isso :D A vida é feita de reencontros, seja aqui ou noutra qualquer parte! Creio nisso!


    NEW OUTFIT POST | Things That Make You Feel More Mature.
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  8. Este texto poderia ate ter sido escrito por mim. Percebo e entendo bem o sentimento de perda mas também como já passei por tal sei que não irei morrer, se acontecer uma próxima vez.

    ResponderEliminar
  9. Claro que sim, o tempo cura tudo querida!

    ResponderEliminar
  10. Que bonito! Estou a adorar conhecer o teu blog, segui*
    http://omundodajesse.blogspot.pt/

    ResponderEliminar

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?