: Educação, educação - clubismos à parte!


Sou do Benfica desde que me lembro. Mas nem é uma coisa de família! Eu e o meu pai somos os únicos benfiquistas enquanto os nossos restantes parentes são quase todos sportinguistas. Talvez por isso o meu pai tenha feito questão de me ensinar, desde bem cedo, que eu deveria respeitar os outros clubes e os seus adeptos. Ensinou-me a gostar do desporto em si, sem ligar a clubes. E eu gosto! Vejo jogos sem me preocupar com as equipas e eu própria jogava com os meus colegas na escola.

Talvez por isso me custe tanto quando os adeptos de qualquer desporto se preocupam mais em deitar abaixo as equipas contrárias do que a apoiar a sua própria equipa. Já passei por uma fase em que achava que tinha que ripostar contra as coisas más que diziam sobre o Benfica. Hoje em dia simplesmente não ligo. Tento até, enquanto educadora, ensinar aos meus pequenos que cada um tem direito a gostar da equipa que quiser e que todas elas são boas à sua maneira.

E porquê a necessidade de lhes ensinar isto?! Tenho lá dois meninos que são super adeptos do Benfica e cujas famílias são super adeptas também. Mas, felizmente, não falam mal de outras equipas. Aliás, um deles até anda no futebol e joga no Sporting! O meu "problema" é que um outro pequeno tem um pai não só Sportinguista como anti-Benfica. O menino chega à sala a dizer que em casa o pai lhe disse, por exemplo, que o Benfica não prestava. Que o Benfica assado; Que o Benfica cozido. E eu, desde o primeiro segundo, tentei cortar com isso. Disse-lhe que era errado dizer essas coisas e que cada um tinha direito a ser do clube que mais gostasse. Disse que todos os clubes podiam ganhar. Desde aí a postura da criança mudou um pouco. Por vezes continua a expressar aquilo que ouve em casa mas, na maioria das vezes, já diz que todas as equipas podem ganhar. Já não tem aquela visão de "ódio" que tinha ao início.

Não sei até que ponto o pequeno diz em casa aquilo que eu lhes transmito lá. Mas se o fizer espero que a mensagem certa passe para o pai. Espero que perceba que não é por ele gostar de um clube que todos os outros são lixo - outras das coisas que ouvi o pequeno reproduzir. Quando for mãe tenciono deixar o meu filho ser livre para escolher aquilo que achar melhor - até mesmo o clube dele! Ou até nem gostar de clube nenhum! 

Agora incentivar ao ódio, não!

Comentários

  1. Transformar uma paixão em fanatismo fundamentalista é algo que faz do mundo um lugar estranho.

    ResponderEliminar
  2. Apoiar um clube não implica ofender os restantes. Há uma coisa muito importante chamada respeito e é nisso que as pessoas têm que se focar. É tão mais bonito quando concentram as suas energias para torcer pelos seus, em vez de perderem tempo com insultos para os outros.
    Enquanto pais temos que ter o cuidado com aquilo que dizemos/fazemos, da mesma maneira que nós enquanto cidadãos temos a mesma responsabilidade.
    O futebol é uma festa, não percamos isso.

    ResponderEliminar
  3. O meu pai é benfiquista, o meu avô ainda pior era...era mesmo ferrenho. Mal eu nasci já era benfiquista ^^ mas devo confessar que jogos como o do próximo Sábado me assusta imenso por saber que é mais do que certo andar tudo à briga.

    ResponderEliminar
  4. Faço das tuas, minhas palavras. Beijinhos*

    ResponderEliminar
  5. Sou benfiquista e também faz-me uma confusão do caraças como algo que devíamos levar na desportiva (ou não fosse um desporto) desencadeia tanta confusão :| E também acho estúpido ser anti-Benfica, anti-Sporting, anti-Batata Frita. É só bola, ó seres humanos doidos.

    ResponderEliminar
  6. Há coisas que não fazem sentido. Eu gosto de futebol e respeito os restantes gostos.

    ResponderEliminar
  7. É horrível o que se passa na relação com o futebol, principalmente. Eu amo o jogo, verdadeiramente, mas ver pais de crianças pequenas incutir nos filhos o ódio por pessoas apenas porque defendem outro emblema é terrível.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?