: Feliz dia, Pai.


Não temos, de todo, a típica relação de pai e filha. Sou eu que lhe dou na cabeça para mostrar-lhe o quão teimoso pode ser. Sou eu que o chateio quando sei que vai tomar uma má decisão. Sou eu que lhe digo as verdades, mesmo quando ele não gosta de as ouvir. É ele o primeiro a ajudar-me no que preciso, mesmo que nem lhe chegue a pedir nada. É ele o primeiro a cobrar-me a minha ausência ainda que eu nem sempre tenha o melhor feitio - na teimosia devo sair a ele. É ele que, aconteça o que acontecer, será sempre o meu pai. 

Eu sou, simplesmente, a sua filha. Sou a menina que passeava no parque com ele. Sou a menina que lhe pedia para ver os vídeos que fazia para imortalizar os meus momentos. Sou a adolescente chata que o expulsava do quarto quando queria um tempo para mim e já não o queria mais ouvir cantar karaoke. Sou a jovem adulta que saiu do ninho dos pais e percebeu que as boas recordações nunca a vão abandonar. Sou um pedaço de tudo aquilo que já fui e de tudo aquilo que ele ajudou a criar. Serei, sempre, a bebé; a criança; a adolescente; a adulta. Para ele, serei tudo.

Só há uma coisa que nunca vou desculpar: esperar que eu saísse de casa para arranjar um cão e um gato!! Não se faz, pai, não se faz!

Comentários

  1. Ahahaha adorei esse final de post ^^Acho que os animais ajudam a preencher a tua falta lá em casa de certeza ;)

    ResponderEliminar
  2. Sentiu falta de ter alguém de quem cuidar, então arranjou animais que precisam de atenção. 😊
    kiss na cheek

    ResponderEliminar
  3. Essa parte final, foi indecente, realmente :p
    Feliz dia para o teu pai!

    ResponderEliminar
  4. Ehehe! Logo as duas espécies..imagina lá o vazio que não lhes deixaste! :)
    Abraço

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?