: Somos mesmo donos de primeira viagem!

Imagens presentes no instagram.

Eu nunca tinha tido um cão até o Floki vir cá para casa. Relacionava-me com cães de familiares e de amigos mas nunca tinha tido a oportunidade de partilhar o dia a dia com um amigo de quatro patas. Tentei, ao máximo, não idealizar nada. E ainda bem! Esta primeira semana de aprendizagem tem sido exaustiva. Apesar de ele ser um bebé super bem educado e nada chato, as noites têem sido um terror. Por opção nossa - e por segurança do cachorro e da casa!! - enquanto não estamos em casa durante o dia e à noite ele fica num parque especial que comprámos para ele. Se durante o dia ele gane 2 minutos e depois se deita até chegarmos sem fazer mais barulho, à noite o caso muda de figura. Só numa das noites consegui dormir na minha cama. Todas as outras foram passadas no sofá (que felizmente é sofá cama e bastante confortável!) para depressa o mandar calar e lhe dizer para ir para a cama. E ele acaba por ir e dormir o resto da noite. Mas sempre comigo por perto. Se o podia pôr no quarto? Claro que sim. Mas não queríamos desistir já de tê-lo mais protegido para ele não se lembrar de pôr à boca algo que não deva. Talvez tenhamos que o levar para o quarto, para bem de todos, mas queremos acreditar que ele irá acabar por se habituar a estas rotinas. Já tentámos deixá-lo ganir um bocado para perceber que não o íamos tirar mas não queremos incomodar os vizinhos, visto que moramos num apartamento. São muitas as dúvidas e para nós, donos de primeira viagem, tem sido um caminho interessante. Vamos descobrindo aos poucos como lidar, como fazer. Vamos, os três juntos, crescendo.

Apesar de tudo amo cada vez mais este patudo que me enche de beijos assim que lhe abro o parque. Que nos olha com carinho e se aninha junto a nós para dormir. Que nos segue para todos os lados! É impossível chatear-me com ele!

Comentários

  1. É uma aprendizagem conjunta. Porque, por mais que existam características comuns, os animais não são todos iguais e a adaptação é distinta. Como se costuma dizer, cada caso é um caso, e o que resulta de uma forma para uns, não resulta para outros.
    É tão lindo *.*

    ResponderEliminar
  2. ohhhh ele é tão fofinho! É tão bom ter um animal de estimação :)

    ResponderEliminar
  3. Não tarda já estão habituados uns aos outros e tudo será mais fácil. É muito giro o teu patudo :) Beijinhos*

    ResponderEliminar
  4. Os primeiros dias são sempre os mais dificeis no que toca a ganir e até mesmo deixa-los sozinhos em casa. O meu Faísca veio para minha casa com dois mesinhos... na primeira noite tentei deixa-lo na sala e ele não parava de ganir. Então acabei por ceder e trazê-lo para o meu quarto (porque, apesar de estar ainda em casa dos meus pais, o cão é meu). Nem isso resolveu! Solução: ficou a dormir na minha cama. Não consegui resistir a tê-lo perto de mim, e ele lá se calou... o que é compreensível, já que tinha sido tirado do calor da mãe e dos manos, sem aviso prévio, para um ambiente desconhecido. Agora, quatro anos depois, já dorme no ninho dele, no corredor, sem chatear ninguém. Mas, sendo ele de uma raça que está dentro dos "cães de guarda" (apesar de ser um pinscher miniatura), só se mantem sossegado no corredor porque tem visão para todas as portas onde os donos da casa estão a dormir. Sim, porque se o deixar fechado na sala, por exemplo, ele não se cala! Mas é sempre uma questão de irmos tentando perceber o que eles nos vão dizendo, perceber as reações e tentarmos ver o tempo de amadurecimento de todos, tanto dos donos como dos animais xb

    ResponderEliminar
  5. r: É tão bom ler isso, minha querida. Obrigada, de coração! Espero que saibas que é reciproco *.*

    ResponderEliminar
  6. Quanto o nosso gato supersónico foi lá para casa, também foi sem contar. Tinha sido abandonado e precisava de uma casa para ficar temporariamente. Acabamos por não resistir àqueles olhinhos lindos ^^
    Nos primeiros tempo, dormia sempre connosco porque tinha frio (estava mal nutrido) e tinha medo, acho eu. Agora dorme onde quer, basicamente, mas parte de noite vem dormir ao nosso lado.
    Quando é o nosso primeiro patudo é complicado, tudo parece difícil e um bicho de sete cabeças. Mas com o tempo, todos se vão habituando a novas rotinas e partilhas =)
    ****

    ResponderEliminar
  7. Pelo que sei acerca de cachorros, eles têm sempre esta tendência mas vocês vão ter mesmo que fazer um esforço por ignorá-lo para que ele aprenda a ficar sozinho durante a noite. Senão nunca vai aprender x)
    LA VEINE

    ResponderEliminar
  8. Boa sorte com o teu "filhote" de 4 patas ;)

    ResponderEliminar
  9. r: Fiquei de coração cheio ao ler as tuas palavras! E fico sem saber agradecer como deve ser tamanho carinho. Muito obrigada, minha querida <3
    Um grande beijinho*

    Adoro as mudanças por aqui *.*

    ResponderEliminar
  10. Não "desistas" de o educar. Eles aprendem tudo e se aprenderem a portar-se bem, vai compensar todo o tempo que perdes agora.
    Boa sorte.

    ResponderEliminar
  11. Que coisa fofa!
    A cadela do meu namorado roeu imensa coisa quando era bebé, por isso compra-lhe muitos brinquedos ou dá-lhe peluches velhos. Enquanto os estraga não destrói nada em casa :p

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?