: Cinco vezes em que devia ter estado calada!


Há momentos em que falamos sem pensar bem no que dizemos. Ou que temos verdades absolutas antes sequer das situações nos acontecerem. É normal e o importante é saber reconhecer quando estamos errados. O importante é aceitar que estamos sempre a aprender coisas. E o que hoje é uma verdade para nós, amanhã pode já não o ser. Deixo-vos a lista das vezes em que já mordi a língua! 

1 - Nunca terei uma placa na cozinha em vez de um fogão. Quando vim ver a minha casa esta já tinha a cozinha equipada. Como no prédio não há instalação de gás natural a antiga dona, que fez as remodelações, colocou tudo a electricidade. Placa, forno e caldeira. Quando vi a placa torci o nariz porque pensei que fosse gastar imenso dinheiro em luz. Enganei-me redondamente. Gasto o mesmo do que se tivesse luz/gás e já não trocava a placa por nada. É rápida e super fácil de limpar! 

2 - Não preciso de máquina de lavar loiça. Mais uma coisa que vinha com a casa e que eu pensei que nunca iria utilizar. Aliás, demorei meio ano até à pôr a funcionar pela primeira vez! Agora adoro-a. Nem sempre lava na perfeição mas nada que uma pré lavagem não resolva. Poupa-me tempo e esforço! 

3 - Ter namorado não invalida continuar a ir a vários sítios sozinha. Verdade. Até certo ponto. Sou capaz de sair com amigos durante umas horas, caso o David não possa vir. Mas sou incapaz de passar férias longe dele, por exemplo. Sempre disse que ter namorado não me iria mudar o pensamento, mas mudou. Prefiro mil vezes ficar por casa, junto dele. Claro que continuo a sair com amigos, mas nada do que eu imaginava antigamente. 

4 - Falar com os cães é parvo. Eu dizia isto antes de ter o meu cão. Agora falo com ele imensas vezes e dou por mim a pensar que se calhar estou a fazer figura de tonta. Mas pouco me importa. É tão giro vê-lo olhar para mim e ter conversas sem temer o que digo! 

5 - Nunca irei tirar a carta de condução. Até acabar a faculdade disse sempre que não iria querer tirar a carta. O maior motivo era que eu detestava carros e ia odiar conduzir. Não podia estar mais enganada. Quando saí da faculdade lá tirei a carta, por insistência dos meus pais e do David, e adorei! Adorei a teoria e adorei ainda mais a prática. Continuo a não gostar de carros, visto que há gente louca na estrada, mas descobri que adoro conduzir.

Estas foram as principais vezes em que falei sem conhecimento de causa. Falei porque acreditava piamente no que estava a dizer. E depois arrependi-me. Tenho aprendido a ser mais controlada, a ponderar aquilo que digo. A não ser precipitada. Nada é uma verdade absoluta porque a vida está sempre a mudar! 

Agora lanço-vos um desafio: Quais foram os momentos em que falaram e depois viram que não era bem assim? Se preferirem fazer um post deixem-me o link nos comentários! 

Comentários