domingo, agosto 20

: Na pele de terceiros...


Há uns dias atrás estava à espera do autocarro e, mesmo ao meu lado, falavam duas pessoas. O que elas disseram deixou-me de coração apertado e fez-me repensar em todas as situações em que me queixei da minha vida, sem razões para isso. O senhor dizia que precisava de comprar carne mas que ainda não lhe tinham pago o ordenado. Por essa razão teria que pedir fiado. Já a senhora dizia que tinha de esperar até um certo dia para comprar uma bilha do gás nova, porque era nessa altura que receberia o abono dos filhos. Dava para perceber que eram duas pessoas trabalhadoras mas que, infelizmente, vivem no limite como tantas outras pessoas. 

E eu, que às vezes me queixo que o dinheiro não estica, senti-me uma parva. Porque afinal de contas ainda me posso dar ao luxo de comprar coisas extas; De ir comer fora de vez em quando; De ir fazer uns dias de férias longe de casa. Senti-me parva porque sou uma sortuda. Tenho um daqueles trabalhos "chatos" de segunda a sexta e com um ordenado certo no final do mês. Ouvir aquela conversa abriu-me os olhos. Não sou rica, longe disso. Mas tenho o suficiente para tudo o que precisamos e para ainda conseguirmos juntar dinheiro. Infelizmente nem todos têm essa sorte, seja porque motivo for - não estamos cá para julgar escolhas alheias. Ouvir aquelas palavras fez-me olhar para lá do meu umbigo. Pudesse eu ajudar todas as pessoas...

18 comentários:

  1. Isso também já me aconteceu. Somos uns sortudos e às vezes não damos valor a isso, enquanto vemos pessoas que têm de apertar o cinto por todos os lados e mesmo assim só Deus sabe.
    Vemos que afinal não estamos assim tão mal.

    ResponderEliminar
  2. É verdade, às vezes temos que olhar mais para os outros e ver que há pessoas a passar bem pior que nós e darmos muito valor aquilo que temos.

    ResponderEliminar
  3. Há gente a viver mal. Recuperaram-se rendimentos nos últimos anos, mas há muita gente a ganhar o ordenado mínimo. Provavelmente, temos aí dois casos desses. A situação do país está melhor, mas isso ainda não se reflecte na qualidade de vida dos portugueses

    ResponderEliminar
  4. De facto queixamos muitas vezes sem pensar que há pessoas a passar pior que nós

    ResponderEliminar
  5. Adorei o post! Segui o teu blog, podes seguir o meu?

    http://aflormaria.blogspot.pt

    beijinhos

    ResponderEliminar
  6. É mesmo doloroso perceber a situação em que algumas pessoas se encontram. Muitas das vezes nem é por mal, mas passamos tanto tempo a queixar-nos, que nem paramos para pensar que a nossa condição pode nem se assim tão má. Claro que todos gostávamos de ter uma vida melhor, mas temos que aprender a agradecer e, como escreveste, a olhar para lá do nosso umbigo.

    r: Muito obrigada, minha querida <3

    ResponderEliminar
  7. Sem dúvida alguma :D

    É muito mau, sim... Mas também temos de aprender a fazer do pouco que se tem, muito :) às vezes as situações complicam-se, sim, mas nada como ter foco no futuro!

    NEW GET THE LOOK POST | Trend Alert: The Street Chic
    InstagramFacebook Official PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  8. Um reality-check é por vezes uma bofetada de luva branca que nos andava a fazer falta... sobre aquilo que realmente importa.

    ResponderEliminar
  9. Por vezes uma pessoa não dá valor ao que tem, mas quando pensa e conhece histórias como essas, sente-se a maior sortuda do mundo. Devemos agradecer todos os dias aquilo que temos!
    Beijinho, Ana Rita*

    ResponderEliminar
  10. Há sempre alguém pior que nós, infelizmente.

    ResponderEliminar
  11. É muito triste haver pessoas que trabalham diariamente e chegam ao final do mês o dinheiro não chega para o essencial....

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  12. Somos mesmo sortudos embora às vezes não tenhamos essa precessão...

    ResponderEliminar
  13. Às vezes esquecemo-nos do tanto que temos. Não por mal.
    Mas faz-nos bem este contacto repentino com uma realidade tão diferente, para que possamos, de vez em quando, ver a outra face da moeda.

    ResponderEliminar
  14. R: Obrigada minha querida, por acaso desta vez também gostei do resultado final, espero que seja para ficar :p

    ResponderEliminar
  15. r: Muito obrigada, minha querida *.*
    É verdade, tenho a sorte de já te ter desse lado desde o Parte do que sou. E, de coração, espero que nos continuemos a acompanhar por muito mais tempo.
    É mesmo bom ler isso!

    ResponderEliminar
  16. Corta-me o coração pensar que, neste tipo de sociedade, ninguém pode afirmar que está seguro e a desgraça um dia pode bater-nos à porta.
    E com tanta riqueza concentrada, é infame que alguém possa chegar a uma situação de rotura tal, que nem os produtos básicos possa comprar.
    A ganância de uns poucos, faz a miséria de muitos outros. :(

    ResponderEliminar
  17. Ouvir este tipo de histórias é sempre difícil, mas faz-nos ganhar outra perspetiva da nossa própria vida!

    ResponderEliminar

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?