: Saber estar só.



Gosto de ver todas as cores do mundo. Gosto de descobrir os vários aromas que surgem inesperadamente. Gosto de explorar todos os cantos das ruas, mesmo daquelas que penso já conhecer. Fotografo pormenores que mais ninguém vê ou, quem sabe, fingem não ver. Sou o meu próprio sol e não ligo às pedras do caminho. Tropeço. Caio. Levanto-me. Sigo em frente. Choro todas as lágrimas que preciso chorar, para depois limpar a cara. Ponho o meu melhor sorriso e saio à rua. Sou a minha própria Lua e ilumino as noites escuras. Encontro consolo no silêncio, no relaxe da solidão. Liberto-me de todos os pesos e deixo-me ir. Existo, simplesmente. Sem etiquetas ou preocupações. Sei ser eu, sozinha. Para saber ser eu, com outros. Estar sozinha não me assusta: ajuda-me a crescer. 

Comentários

  1. «Sei ser eu, sozinha. Para saber ser eu, com os outros». Acho que isto é fundamental! Caso contrário, vamos acabar por exigir dos outros aquilo que sentimos faltar em nós. E isso não é justo. Se eu souber estar sozinha, aprendo a conhecer-me.

    ResponderEliminar
  2. Obrigada pela partilha. É tal e qual :)

    ResponderEliminar
  3. Todos precisamos de ter tempo só para nós

    ResponderEliminar
  4. é tão bom sabermos ser nós, para sabermos como se-lo com outros!

    ResponderEliminar
  5. Que palavras lindas, que sejas sempre assim!

    ResponderEliminar
  6. Adorei o texto e identifiquei-me bastante!

    http://we-allhavestoriestotell.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. Adorei o raciocínio, concordo e tento fazer o mesmo. É uma construção. Beijinhos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?