terça-feira, outubro 31

: Mas, no final, a perfeição existirá?


Sou aquele tipo de pessoa que nunca acredita que sabe fazer algo na perfeição. Tenho sempre dúvidas, receios, macaquinhos no sótão. Quem priva comigo até pode dizer que eu sou boa em algo mas, muito provavelmente, eu não vou acreditar. Sempre fui assim e talvez tenha sido essa minha forma de ser que me fez chegar longe, em determinadas áreas da minha vida. Que me fez querer procurar sempre o melhor de mim. Não sou perfeita, isso assumo logo à partida, mas gosto de fazer as coisas o melhor possível. Para mim há sempre algo que posso melhorar.

A música não é um caso à parte. Apesar de ser a área onde me sinto mais à vontade - e onde sei que até sou boa - não consigo sentir-me completamente convencida. Quando estudava piano era tudo simples para mim e em meia dúzia de dias tocava uma música sem erros. Agora com o violino sinto que tenho que me esforçar muito mais para conseguir fazer bem o mínimo dos mínimos. Quando comecei a tocar avisaram-me que era um instrumento difícil e para mim, que estava habituada a teclas, custa-me nem sempre conseguir tirar um som bonito quando toco. Sei que ainda só estou a aprendê-lo desde Fevereiro, mas há dias em que fico frustrada e há músicas que me fazem querer arrancar os cabelos. Por norma erro sempre nas partes fáceis o que, devem calcular, deixa qualquer um frustrado...

aqui vos falei sobre o desafio que o meu professor me deu e que eu aceitei, por saber que me iria fazer sair da minha zona de conforto. Hoje posso dizer-vos que estou a dar em maluca. Apesar de saber praticamente a partitura toda de cor, há lá dois ou três pedaços que me fazem querer dar um grito. Continuo a falhar sempre nessas partes e, infelizmente, não tenho muito tempo livre para poder dedicar-me ao seu treino. Durante a semana passada, farta de tocar sem ouvir realmente a música, decidi arriscar-me e pus a música original no tablet. Liguei os fones para pôr nos ouvidos e toquei no violino ao mesmo tempo que ouvia a música. O facto desta ser mais rápida do que a forma como treinava fez-me trocar alguns dedos ao início, mas ao fim de algumas repetições já estava mais relaxada. Fez-me bem este choque com a realidade de ter que estar à altura de uma música magnífica. Continuo sem estar à vontade com algumas partes e continuo a sentir que devia ter ficado quieta. Mas, ainda assim, acho que me fará bem superar este momento. Não serei perfeita - disso tenho a certeza - mas irei procurar ser a melhor versão possível. Mesmo que demore mais um mês a lá chegar. 

Os meus receios só atenuaram quando na última aula o meu professor disse que já não estava nada mal e que as outras raparigas se deviam preocupar tanto com a música como eu. Talvez tenha dito isso para me dar ânimo, não sei. A verdade é que saí da aula mais leve e até sinto que o ensaio correu melhor. Às vezes basta só uma palavra de incentivo. 

Sei que vou conseguir. Tenho que conseguir.

8 comentários:

  1. O esforço compensa sempre e nota-te que te esforças e dedicas o quanto podes. Vai correr tudo bem :) Beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. Revi-me tanto no primeiro parágrafo!
    Esses receios fazem parte. E, inevitavelmente, acabamos por colocar demasiada pressão sobre nós. Acredita em ti, porque vais ser capaz de superar esse desafio :)

    ResponderEliminar
  3. Verdade, às vezes são só coisas da nossa cabeça...

    ResponderEliminar
  4. r: Sim, com as crianças é mais complicado não festejar. Há decorações incríveis :)

    Concordo contigo! Modern Family dispensa apresentações. E Dr. Ken surpreendeu-me imenso pela positiva.

    ResponderEliminar
  5. Claro que vais conseguir, com treino e vontade tudo vai. Força :)

    ResponderEliminar
  6. e vais conseguir!! a música é assim mesmo, cláudia, tal e qual a vida: difícil mas worth it! :)

    r: owwwww <3

    ResponderEliminar
  7. Vais conseguir sim! A dedicação e o trabalho são meio caminho andado para correr tudo bem =)

    MRS. MARGOT

    ResponderEliminar
  8. Demasiada pressão numa pessoa só. Relax :) a música não foi feita para sofrer:)

    ResponderEliminar

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?