domingo, novembro 19

: « Dias de Chuva » - parte 3


No dia em que me conheceste uma das primeiras coisas em que reparaste - disseste-me largos meses depois - foi na minha tatuagem de um nenúfar. Quiseste perguntar-me logo qual o seu significado, mas decidiste esperar até ao momento em que mostrei ter confiança em ti. E, quando esse dia chegou, partilhar a minha paixão pelos nenúfares foi um prazer. O facto de ter recordado a casa no campo dos meus avós encheu-me o coração. Descrever-te o lago, onde se ouvia o coaxar das rãs e onde os nenúfares balançavam, levou-me ao passado. Parecia ter novamente dez anos, de tranças bem apertadas e roupas sempre manchadas pela terra. Pareceu-me sentir novamente nas mãos o pedo dos barcos de madeira que o meu avô construía e que navegavam no lago. Senti, como que por magia, o cheiro do bolo de canela da minha avó. Viajei enquanto contava que roubava nenúfares da água para oferecer à minha mãe. Sorri por ter oportunidade de espelhar na minha voz a felicidade que foi a minha infância. E tu sorriste-me de volta, aninhado pelo amor que eu transmitia. Viajaste comigo.

Hoje já não há casa dos avós. Já não há lago e rãs a coaxar. Já não há nenúfares para apanhar. Já não existes tu. Mas ainda existe a tatuagem que me recorda de todos vocês, de maneiras diferentes. E que irá sempre recordar.


A palavra utilizada foi nenúfar e foi-me dada pelo Eros.

No próximo domingo sairá a parte 4, com a palavra luz...

8 comentários:

  1. Recordo ajuda-nos a perpetuar determinados momentos!
    Senti-me a recuar à minha infância, às memórias que preservo e às pessoas que me viram e ajudaram a crescer. Adorei esta parte *.*

    ResponderEliminar
  2. Amei, fizeste-me viajar um pouco para a minha infância e para as minhas recordações mais antigas. Beijinhos*

    ResponderEliminar
  3. Gostei tanto desta parte, estou ansiosamente à espera de mais. Gostei mesmo :)

    ResponderEliminar
  4. As tatuagem, somos nós. É a nossa história que passa da memória para o corpo, para que nunca se perca. Para mim não há forma mais bonita de criar uma recordação.

    ResponderEliminar
  5. Fantástico. Crias com uma mestria incrível.

    ResponderEliminar

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?