domingo, novembro 26

: « Dias de Chuva » - parte 4



Conhecer-te foi a melhor coisa da minha vida. Durante anos tornaste os meus dias mais felizes. Durante anos ensinaste-me como superar os meus medos, como aproveitar ao máximo as coisas boas. Apareceste numa altura em que me deixava ficar sentada na cama, a olhar o vazio. Apareceste numa altura em que não sabia para onde queria ir. Em que nem sequer me importava com aquilo que me rodeava. Mas, de repente, lá estavas tu. De sorriso na cara a fazer-me convites para mil e um programas. Alguns recusei, quando ainda não tinha certeza das tuas intenções. Mas depois aceitei. Um. Dois. Todos. Aceitei-te a ti no meu coração. E fui feliz. Fomos felizes. 

Agora tu foste. Tu que foste o meu farol este tempo todo. Já não há luz a iluminar o caminho e sinto que voltei a ser a pessoa que olha o vazio. Mas não. Não posso. Por ti. Tenho que ser forte para honrar a memória de tudo o que foste para mim. Vou ser forte, prometo. Hei-de ser luz


A palavra usada foi luz e foi-me dada pela Catarina do Marquesa de Carabá.

No próximo domingo a parte 5!

7 comentários:

  1. Ficou muito bem adaptada a palavra que sugeri :)
    Estou a gostar imenso deste "auto-desafio"!
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  2. Que delícia de texto pra ler!

    www.andeiporai.wordpress.com

    ResponderEliminar
  3. Há pessoas que viram a nossa vida do avesso. E não podiam tê-lo feito, nem chegado, em melhor altura. Mas quando já não estão connosco sentimos o peso dessa ausência, e é como se começássemos a regredir.

    Estou a adorar o rumo destes «Dias de Chuva»


    r: Para mim, é das melhores histórias. Recomendo mesmo a leitura *.*

    ResponderEliminar
  4. Não dá para não ficar emocionada... Beijinhos*

    ResponderEliminar

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?