terça-feira, novembro 21

: O dia em que rejeitei o não.


No início deste ano letivo assumi um compromisso para com o meu grupo: dizer menos que não. Atenção que isso não é sinónimo de deixá-los fazer tudo o que querem... É sinónimo de tentar encontrar outras formas de me expressar para com eles. O não tem um poder muito negativo. Tem uma força muito deprimente. Dei por mim a dizer imensas vezes "não" durante o dia, em diversas situações. Não vás para aí. Não faças isso. Não podes. Não. Não. Não...

Todos sabemos que há momentos em que essa palavra tem mesmo que ser utilizada, mas não haverá melhor forma de contorná-la? Dizer-lhes que faremos aquilo mais tarde. Tentar que eles entendem o nosso motivo. Dei por mim a recriminar-me por dizer-lhes que não podiam fazer as coisas que eu mais gostava de fazer em criança. Sei que o fiz para sua segurança mas que criança não gosta de andar alto no baloiço? Que criança não gosta de trepar a tudo o que esteja no parque? Estava a ser hipócrita. Continuo a alertá-los para os perigos e a aconselhá-los mas já não sou tão rígida como era. Eles vão cair, vão magoar-se, vão chorar. E cá estaremos para curar as feridas e limpar as lágrimas. Cá estaremos para ensiná-los como fazer o que mais gostam da melhor forma.

Ainda irão existir momentos em que não poderão fazer o que querem mas comprometi-me em ajudá-los a viver da melhor forma a sua infância. Quando crescerem já terão que ouvir demasiados nãos que ficarão sem explicação. Agora é tempo de serem felizes.

12 comentários:

  1. É um desafio muito difícil deixar de dizer "não", da mesma forma que para muitas pessoas o desafiante é não dizer sim a tudo! :)

    ResponderEliminar
  2. Acho muito interessante este tema em que tocaste, existem sempre alternativas menos negativas de "dizer não". Beijinhos*

    ResponderEliminar
  3. Que resolução bonita para com as tuas crianças. Ainda assim, tenho a certeza de que os teus não's terão sempre assim :)

    ResponderEliminar
  4. Abraçaste um excelente compromisso, minha querida! Inevitavelmente, teremos que dizer não, como referiste e bem, mas, por vezes, somos demasiado rigorosos e pouco flexíveis, porque começamos a antever o pior e queremos evitar que se magoem. No entanto, essas quedas também fazem parte. O importante é sabermos estar do lado deles, por inteiro!

    ResponderEliminar
  5. As vezes a resposta encontra-se mesmo quando dizemos sim as coisas!

    ResponderEliminar
  6. O problema é que tu, se caísses, provavelmente a responsabilidade ficava em família. Agora se te cair um puto do baloiço, no dia seguinte tens os pais a pedirem a pena de morte para ti. O mundo está para extremos... :/

    ResponderEliminar
  7. Sim, concordo completamente contigo! É preciso cair, magoar e chorar... Afinal, é assim que crescemos na vida e como pessoas! :)

    ResponderEliminar
  8. Também concordo que o não tem uma energia muito negativa, principalmente para as crianças. Dou-te razão em empregarmos outras expressões, até porque as crianças aceitam-nas melhores e não se sentem tão atacadas.
    E é normal nos preocuparmos e evitarmos que as crianças se magoem, mas olha que elas são bem resilientes: lembro-me quando o irmão do meu namorado atirou-se contra os cacifos da escola e caiu. Eu quase morri de preocupação, mas o pequeno levantou-se e continuou a andar como se nada se tivesse passado xD

    ResponderEliminar
  9. Acho que fazes muito bem, às vezes dizer "não" pode ser demasiado forte, devemos alertá-los para os perigos de uma forma mais suave digamos :)

    ResponderEliminar
  10. Se fosses educadora de um filho meu iria ficar mais do que feliz a ler isto! Sem dúvida que tentamos protege-los mas se calhar ao fazê-lo acabamos por lhe tirar momentos muitos bons.


    O meu namorado não está nas zonas mais calmas o que ainda me faz perder horas de sono quando as posso perder (se tiver mesmo de dormir tento trocar umas mensagens com ele a confirmar que está tudo bem) mas se ele estiver de serviço com um colega em quem confia e gosta de trabalhar ajuda-me muito a descansar o coração.
    Nunca achei que ia ter um namorado polícia, achei que ia ter um advogado ahah mas era o sonho dele e uma pessoa só tem é de apoiar não é? ;)

    ResponderEliminar
  11. Arranjas-te uma boa maneira de contornar os "nãos" que tinhas e tens de dizer, acho que fazes bem!

    ResponderEliminar

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?