domingo, janeiro 21

: « Dias de Chuva » - parte 12 [final]


Acordei. Deixei-me ficar na cama de olhos fechados, procurando sons conhecidos na rua. O canto dos pássaros sobrepunha-se a tudo. Foi aí que percebi: já não chovia. Ao fim de tantos dias a chuva deu tréguas e eu senti o meu corpo relaxar. De repente ouvi um som, vindo da cozinha. Eras tu que por lá andavas, atarefado. Fiquei confusa; assustada. Como poderias ser tu? Quando apareceste à porta do quarto olhei para ti como nunca tinha olhado. Absorvi todos os teus traços, achando que a qualquer momento poderias desaparecer. Provavelmente reparaste que algo se passava porque me perguntaste se estava tudo bem. Desculpa, fui incapaz de te responder. Como te poderia explicar este sonho tão complexo que me fez viver e reviver emoções? Como te poderia explicar que um sonho me tinha mostrado tudo aquilo que iria ter que viver sem ti? Sorri-te. Agradeço por ter sido tudo um sonho; Por te ter junto a mim, para vivermos aquilo que tanto ansiamos. Por poder sentir o teu abraço, o teu toque. Foi um sonho mirabolante, quase um universo alternativo. Mas agora estás aqui. E a solidão nunca mais será o meu maior medo. Agora sei que irei sempre sobreviver.


A palavra usada foi solidão e foi-me dada pelo Jota Esse do Pra Variar

4 comentários:

  1. Confesso que não estava à espera deste final, mas adorei o caminho que traçaste! Vou ter saudades destes «Dias de Chuva» *.*

    r: Eu é que agradeço o feedback, minha querida

    ResponderEliminar
  2. Está lindo, não esperava este final, mas gosto muito :)

    ResponderEliminar

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?