quinta-feira, março 29

: Home Cinema | Aos três de cada vez

Título Original: Knight & Day
Ano: 2010

Sinopse: Nesta comédia de acção Tom Cruise é um agente secreto enviado numa missão que nunca foi suposto terminar e Cameron Diaz é uma mulher apanhada desprevenida entre o agente e aqueles que ele afirma terem-lhe armado uma cilada. À medida que a sua aventura mundial irrompe num labirinto de encruzilhadas, falsas identidades e fugas impossíveis, acabam por chegar à conclusão de que só podem contar um com o outro.

Opinião: Calhou estarmos com a televisão ligada quando começou o filme e acabei por vê-lo. Não costumo gostar de filmes de acção mas este é leve e até me cativou por ter um lado cómico. Tem momentos muito estranhos e em certas ocasiões apeteceu-me bater na Diaz por continuar a cometer sempre os mesmos erros. É um filme previsível mas, ainda assim, agradável de ver. 

Título Original: Pixels
Ano: 2015

Sinopse: A humanidade sempre buscou vida fora da Terra e, em busca de algum contato, enviou imagens e sons variados sobre a cultura terrestre nos mais diversos satélites já lançados no universo. Um dia, um deles foi encontrado. Disposta a conquistar o planeta, a raça alienígena resolveu criar monstros digitais inspirados em videogames clássicos dos anos 1980. Para combatê-los, a única alternativa é chamar especialistas nos jogos.

Opinião: Neste filme os papéis invertem-se e os heróis são os nerds, que demonstram capacidades que muitas vezes são ignoradas por todos os outros. Revivemos jogos dos anos 80 e o planeta terra torna-se num gigantesco jogo de arcade. Tem alguns clichés típicos destes filmes de comédia mas mesmo assim conseguiu cativar-me do início ao fim. Nunca sabemos que jogo virá a seguir e de que forma eles terão que jogá-lo. É um filme divertido, principalmente para quem gosta de jogos de arcade. Adorei!

Título Original: The best of me
Ano: 2014

Sinopse: Amanda e Dawson apaixonaram-se perdidamente na primavera de 1964. Ela, uma adolescente bonita e de uma família tradicional, via no namorado um porto seguro para toda a sua paixão e o seu espírito livre. Separados pelo destino, cada um seguiu o seu caminho até que, após 20 anos, um encontro inesperado traz à tona sentimentos que estavam perdidos no passado.

Opinião: Eu não sou a maior fã de Sparks, apesar de o achar um escritor brilhante. Li um livro dele e vi apenas duas adaptações cinematográficas dos seus livros. O porquê? Fico sempre de coração partido com o final das histórias e irritada porque as personagens normalmente não têm direito ao seu final feliz. Quando comecei a ver este filme não associei logo ao escritor e só passado um bocado é que me lembrei que a minha mãe tinha na sua colecção um livro com este exato título. Nessa altura já estava tão absorvida pelo filme que não havia volta a dar. Os actores fizeram um trabalho brilhante e transmitiram tanta emoção que parece que estamos com eles a viver aqueles momentos. É uma história de amor que demonstra a realidade e que apela às segundas oportunidades. Divide-se entre o passado - o amor adolescente - e o presente - um amor mais maduro, um reencontro muito desejado. O final é uma reviravolta que não esperava mas que me deixou um sabor amargo e que me fez perguntar mil vezes porquê? É verdade, não sou a maior fã de Sparks. Mas esta adaptação de um livro dele fez-me ficar acordada até de madrugada, quando por norma adormeço nos primeiros minutos do filme. Só pode ser bom. Agora tenho mesmo que ler o livro!

7 comentários:

  1. Destes só vi o "Dei-te o melhor de mim" e também já li o livro. Gostei muito de ambos. Acho que está uma história muito bem conseguida, apesar daquele final nos deixar mesmo ko :)

    ResponderEliminar
  2. Também não sou a maior fã de Nicholas Sparks, mas quero ver este filme. Além disso, deixaste-me curiosa em relação aos outros dois :)

    ResponderEliminar
  3. Só vi o 1º, já há algum tempo, e a opinião é semelhante à tua ;)
    "Amanda e Dawson apaixonaram-se perdidamente na primavera de 1964. Ela, uma adolescente bonita e de uma família tradicional, via no namorado um porto seguro para toda a sua paixão e o seu espírito livre. Separados pelo destino, cada um seguiu o seu caminho até que, após 20 anos, um encontro inesperado traz à tona sentimentos que estavam perdidos no passado." Isto é tão O Diário da Nossa Paixão (absolutamente maravilhoso, by the way). Este não conheço. Costumava ser obcecada por todos os livros do Nicholas Sparks, mas comecei a enjoar e a ler outras coisas.

    ResponderEliminar
  4. Great post dear. ♥
    If you want you can check out my blog. Maybe we can follow each other and be great blogger friends. :)
    https://belyfashionadress.blogspot.ba/

    ResponderEliminar
  5. r: É um bocadinho, até porque dá vontade de desenvolver algumas respostas, enquanto outras não são assim tão automáticas :p

    Para quem gostar do estilo, acho que é uma excelente aposta

    Muito obrigada, minha querida *.* recomendo, o filme está fabuloso

    ResponderEliminar
  6. Deusmalivre se eu conseguia ver tantos filmes. Os gajos da NOS, pressentindo que o período de fidelização está a acabar, anda há meses a ver se me caçam com mais 24 meses e, para tal, oferecem-me mais canais e mais filmes. Eu respondo sempre que os que tenho já me chegam para dormir. eheheh
    O Nicholas Sparks é pior do que o tabaco. Nos livros dele o personagem principal morre quase sempre de cancro. eheheheh

    ResponderEliminar

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?