quarta-feira, maio 2

: Admito, tenho medo da genética.


Ninguém está livre das doenças, calha a todos seja qual for a idade que tenhamos. Por muito saudável que sejamos há sempre pormenores que não podemos controlar. Até ao dia de hoje o único "problema" que me tira do sério são as alergias, que facilmente controlo com um pequeno comprimido (e que até evito tomar)! Mas agora comecei a prestar atenção ao historial familiar e fiquei com receios. Há casos de cancros. Há casos de problemas de coração. Há casos de colesterol hereditário. Há casos de doenças mentais (depressões, ansiedade,...). E começo a pensar quanto peso terá a genética. Penso em todos os momentos em que me canso rápido por ter peso a mais e por ser preguiçosa. Penso em todas as porcarias que como porque são boas, sem pensar no mal que fazem. 

Tenho que começar a pensar mais em mim, isso é ponto assente. Este medo do que a genética me possa trazer fez-me abrir os olhos. Talvez não possa fugir de tudo mas posso prevenir certas doenças. Posso cuidar de mim, do meu corpo, da minha saúde. E, quem sabe, mandar a genética às favas!

7 comentários:

  1. Ás vezes a genetica é um fator positivo. Outras vezes, nem tanto. Mesmo assim achamos que não vale muito a pena pensar sobre o assunto. Devemos sim tratar de nós, como disseste :)

    Beijinhos**
    _________________________
    All The way is an adventure
    Jess & Rose Blog | Instagram

    ResponderEliminar
  2. Confesso que é algo que também me preocupa. Na minha família, também há casos de cancro e isso assusta-me. Mas concordo totalmente contigo quando referes que talvez possamos prevenir certas doenças com esses cuidados!

    ResponderEliminar
  3. Sofro de rinite alérgica possivelmente passada pela minha avó :P Agora que li este texto também fiquei com receio. aparece de tudo a esta gente. E sim, tenho de começar a pensar em voltar a fazer exercício, embora não coma "porcarias" o meu corpo precisa de se mexer, coisa que não tenho feito :/

    ResponderEliminar
  4. Yeah a genética é tramada, mas não é responsável por tudo o que nos acontece. O nosso maior problema e passarmos a maior parte da vida a cometer erros e quando acordamos para a realidade, é tarde demais. Só podemos poupar o que temos, seja dinheiro ou saúde. Fazem-me impressão aquelas pessoas que só começam a poupar em tempo de crise. Só podemos poupar o que temos e quando esbanjámos a saúde, não temos muito que poupar. Eu já desisti de morrer saudável. Tenho algum cuidado com a alimentação, mas tento não ficar prisioneiro de dietas muito radicais. O resto é o que se sabe. A morte está sempre presente nos meus pensamentos. A perspectiva de que a doença pode evoluir negativamente, preocupa-me. No entanto, tento viver um dia de cada vez, pois se andarmos sempre a pensar no mesmo, o medo da doença transforma-se noutra doença.

    ResponderEliminar
  5. De ambos os lados, materno e paterno, há doenças e problemas de saúde que ninguém quer. Por muito que a gente se cuide, é como dizes, é impossível estar imune! Vai daí, das melhores coisas que podemos fazer é exercício (qualquer que seja, estar em movimento é bom), alimentação saudável (e é óbvio que vamos sempre meter ums lambarices de vem em quando) e visitar o médica mesmo sem estarmos doentes!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. É mesmo, apesar de não podermos controlar tudo, podemos ter um estilo de vida saudável, apostar na prevenção - alimentação saudável, exercício físico, evitar o stress... -, fazer exames regulares em algumas situações em que a genética possa ter um peso maior. É preciso alguma motivação, de facto, mas se nos começamos a sentir melhor isso impele-nos a continuar. Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  7. Às vezes esquecemos-nos que podemos mudar certos hábitos, que nos ajudam a manter o corpo e a mente sã. Também penso nisso, por isso quis começar a fazer mais exercício físico e confesso ter mais cuidado com o que como, mas sei que há comportamentos a melhorar. Há doenças que me assustam muito, cada vez mais até, mas temos de cuidar de nós :)

    ResponderEliminar

À noite gosto de contar as estrelas que estão no céu e de ver por onde anda a Lua. E tu do que gostas?